A imagem PET mostra como as vacinas COVID confundem a detecção do câncer

Recentes relatos de casos múltiplos e pequenos estudos demonstraram que as vacinações COVID-19 com os produtos Moderna e Pfizer produzem efeitos colaterais menores, incluindo linfadenopatia reativa.

24 Mai, 2021

A imagem PET mostrou captação anormal do radiotraçador nos gânglios linfáticos de pacientes com câncer após terem recebido as vacinas COVID-19, de acordo com um estudo de 20 de maio no American Journal of Roentgenology . A descoberta sugere que o fenômeno pode confundir a interpretação da imagem e levar a biópsias desnecessárias. Pesquisadores da Mayo Clinic em Rochester, MN, compararam exames de PET de pacientes antes e depois de receberem as vacinações Pfizer-BioNTech ou Moderna COVID-19 e observaram aumento da captação de FDG e carbono-11 (C-11) colina pelos linfonodos axilares e ipsilateral deltóides. Não houve captação de nódulo axilar visível antes das vacinações.

“Essas alterações nos achados do PET após a vacinação com COVID-19 são armadilhas importantes de confusão que podem levar a biópsias e tratamentos desnecessários, a menos que sejam devidamente reconhecidos por médicos intérpretes”, escreveu o primeiro autor, Dr. Dane Schroeder, um radiologista diagnóstico.

Recentes relatos de casos múltiplos e pequenos estudos demonstraram que as vacinações COVID-19 com os produtos Moderna e Pfizer produzem efeitos colaterais menores, incluindo linfadenopatia reativa. Até o momento, a análise sistemática das alterações no PET devido à vacinação com COVID-19 é limitada. O tratamento de linfonodos ávidos por FDG em pacientes que foram vacinados apresenta um desafio clínico, particularmente devido à aplicação comum de PET em oncologia, de acordo com os autores.

Nesta análise retrospectiva, os pesquisadores procuraram avaliar a frequência e as características da captação anormal de FDG e C-11 de colina em imagens PET realizadas em pacientes com câncer após a vacinação com COVID-19.

O estudo incluiu 67 pacientes que realizaram exames de PET / CT ou PET / MRI com FDG ou colina C-11 entre 14 de dezembro de 2020, o primeiro dia em que as vacinas estavam disponíveis nos EUA e 10 de março de 2021. PET foi realizado em uma mediana de 13 dias após a vacinação em pacientes que receberam uma dose e 10 dias após a vacinação em pacientes que receberam duas doses.

Dois médicos de medicina nuclear revisaram independentemente as imagens. Valores de captação máxima padronizada de linfonodo e deltóide (SUV max ) maiores do que SUV max do pool de sangue foram considerados positivos. Todos os exames PET de colina C-11 foram realizados em pacientes para avaliação de câncer de próstata.

Os pesquisadores observaram captação positiva dos linfonodos axilares em 10,4% (7/67) dos pacientes em exames de FDG-PET e 23,1% (3/13) dos pacientes submetidos à imagem PET de colina C-11. A captação ipsilateral do deltoide estava presente em 14,5% (8/55) dos pacientes com lateralidade de injeção documentada, incluindo em 42,9% (3/7) dos pacientes com linfonodos axilares positivos. "Não observamos nenhum linfonodo axilar positivo para PET além de 24 dias após a vacinação. Assim, esperar 3-4 semanas após a vacinação antes de se submeter ao exame PET para avaliação oncológica inicial também pode ser razoável, particularmente em pacientes com maior risco de doença nodal axilar , "escreveram os autores.

Além disso, para ajudar a evitar armadilhas na interpretação de imagens de PET na Clínica Mayo, os pesquisadores implementaram um novo processo para rastrear verbalmente os pacientes para seus históricos de vacinação antes dos exames de PET, uma vez que essas informações nem sempre estão prontamente disponíveis em seus prontuários. Os dados da triagem são inseridos no prontuário do paciente e disponibilizados ao médico intérprete. "Os médicos interpretadores devem reconhecer as características da captação anormal no PET após a vacinação com COVID-19 para orientar o gerenciamento de acompanhamento ideal e reduzir biópsias desnecessárias", concluíram Schroeder e colegas.

Imagem: (A) Mulher de 57 anos com melanoma de braço direito que recebeu a primeira dose da vacina COVID-19 (Pfizer-BioNTech) no deltóide esquerdo 15 dias antes do FDG PET / CT. A captação de FDG é observada nos linfonodos axilares esquerdos (seta, SUV máx = 9,3). (B) Um homem de 62 anos com carcinoma de próstata metastático que recebeu a segunda dose da vacina COVID-19 (Pfizer-BioNTech) no deltóide direito sete dias antes do PET / CT com colina C-11. Imagem cortesia do American Journal of Roentgenology .

Fonte: https://www.auntminnie.com/index.aspx?sec=sup&sub=mol&pag=dis&ItemID=132476

 

Compartilhe


NOTÍCIAS RELACIONADAS