Carreta do Hospital de Amor, equipada com tomografia, faz rastreamento de câncer de pulmão em Barretos e região

Desde 31 de maio a entidade oferece, em uma unidade móvel, exame ainda indisponível no SUS e na maior parte da rede privada do país; a doença é um dos tumores que mais mata no Brasil e no mundo.

16 Jul, 2019

Desde 31 de maio, Dia Mundial sem Tabaco, a carreta do Hospital de Amor (atual nome do Hospital de Câncer de Barretos), equipada com aparelho radiológico de Rastreamento de Câncer de Pulmão, percorre a cidade de Barretos e, em breve, os municípios vizinhos. Inédita na América Latina, a novidade faz parte da expansão do programa de apoio antitabaco realizado pela instituição em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Barretos.

 

Para Rodrigo Sampaio Chiarantano, médico radiologista do Hospital de Amor, esse é um projeto revolucionário, visto que a tomografia computadorizada de baixa dose (rastreamento) para detecção de câncer de pulmão ainda é indisponível no SUS e na maior parte da rede privada de saúde do país. “Por meio da unidade móvel, esse exame poderá chegar, em um futuro próximo, em diferentes lugares do país”, afirma.

 

Para se ter uma ideia da importância dessa ação, segundo os critérios estabelecidos pelo programa, estima-se que, apenas em Barretos, 3.376 indivíduos sejam elegíveis para o rastreamento.

 

A doença

 

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) de 2018, o câncer de pulmão é a segundo mais comum em homens e mulheres no Brasil e o primeiro em todo o mundo desde 1985, tanto em incidência quanto em mortalidade. No ano passado, o Hospital de Amor tratou cerca de 1.300 pacientes com essa neoplastia maligna de pulmão, sendo 400 novos casos.

 

"A importância dessa ação é que a maioria dos fumantes se concentram nos estratos mais carentes da população, de onde vêm também a maior parte dos casos de câncer de pulmão. Essa doença é silenciosa e geralmente identificada no estágio avançado. Com a detecção precoce, a taxa de sobrevida é estima em 56%”, diz Chiarantano.

 

O projeto

 

O programa inicialmente será realizado em Barretos com os fumantes atendidos pela unidade de saúde municipal, que se enquadram nos critérios de maior risco para o câncer de pulmão. “A ideia a médio prazo é que o exame seja oferecido a toda a população da cidade. A longo prazo, o Hospital de Amor espera disponibilizar o programa aos municípios vizinhos e nas demais cidades com unidades da instituição, tais como em Campinas, que já está se mobilizando em parceria com a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) para iniciar um trabalho semelhante”, conta o médico.

 

O critério para o rastreamento é que a pessoa seja fumante ou ex-fumante (neste caso, que tenha parado há menos de 15 anos), possua entre 55 e 75 anos e com o histórico de consumo maior ou igual a 30 anos-maço (número de anos que fumou multiplicado por quantos maços fumava por dia, resultando no número de anos-maço). 

 

Fonte: AI/Hospital de Amor

 

Compartilhe


NOTÍCIAS RELACIONADAS