Estudo encontra dano cerebral por COVID-19, mas nenhuma infecção

Pesquisadores descobrem que os cérebros de pacientes que contraem a infecção de SARS-CoV-2 podem ser suscetíveis a danos microvasculares nos vasos sanguíneos.

05 Jan, 2021

Um estudo conduzido por uma equipe de pesquisadores do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos (NIH) encontrou danos cerebrais em pacientes que morreram de COVID-19, mas nenhum sinal de SARS-CoV-2 em amostras de tecido. A pesquisa foi publicada em 30 de dezembro no New England Journal of Medicine

Os resultados do estudo sugerem que o dano cerebral "não foi causado por um ataque viral direto", disse o autor sênior Dr. Avindra Nath em um comunicado divulgado pelo NIH. "Descobrimos que os cérebros de pacientes que contraem a infecção de SARS-CoV-2 podem ser suscetíveis a danos microvasculares nos vasos sanguíneos", disse Nath. "Nossos resultados sugerem que isso pode ser causado pela resposta inflamatória do corpo ao vírus."

Embora COVID-19 se manifeste principalmente no sistema respiratório, os pacientes também apresentam complicações neurológicas. A razão para essas complicações ainda não é conhecida, observou o grupo. Usando ressonância magnética, a equipe examinou amostras de tecido cerebral de 19 pacientes que morreram de COVID-19 entre março e julho de 2020. Os pesquisadores se concentraram principalmente nos bulbos olfatórios e no tronco cerebral de cada paciente. 

As imagens de ressonância magnética revelaram hiperintensidades e hipointensidades, que os investigadores examinaram mais de perto ao microscópio. As hiperintensidades tinham vasos sanguíneos mais finos do que o normal e que às vezes vazavam proteínas para o cérebro, o que desencadeava uma reação imunológica. As hipointensidades incluíam vasos sanguíneos coagulados e com vazamento, mas nenhuma resposta imunológica.

Nath e colegas não encontraram sinais de infecção por SARS-CoV-2 nas amostras de tecido. "Originalmente, esperávamos ver danos causados ​​por falta de oxigênio. Em vez disso, vimos áreas multifocais de danos que [são] geralmente associadas a derrames e doenças neuroinflamatórias", disse Nath no comunicado do NIH. "No futuro, planejamos estudar como COVID-19 prejudica os vasos sanguíneos do cérebro e se isso produz alguns dos sintomas de curto e longo prazo que vemos nos pacientes."

Imagem:Varredura de ressonância magnética de alta resolução do tronco cerebral de um paciente. As setas apontam para pontos claros e escuros que são indicativos de danos nos vasos sanguíneos observados no estudo. Imagem cortesia do NIH.

Fonte: https://www.auntminnie.com/index.aspx?sec=sup&sub=mri&pag=dis&ItemID=131218

 

 

 

Compartilhe


NOTÍCIAS RELACIONADAS