Medicina Nuclear do InRad HCFMUSP é considerada o melhor serviço pela AIEA

Com a pontuação de 94% na auditoria realizada pelo programa QUANUM, o Centro de Medicina Nuclear do InRad, é o melhor serviço já auditado pela Agência Internacional de Energia Atômica.

29 Ago, 2019

Dos 74 serviços de medicina nuclear já auditados até hoje pela AIEA, o Centro de Medicina Nuclear do InRad HCFMUSP, foi considerado o melhor serviço da especialidade ao conquistar a pontuação de 94%, na auditoria realizada pelo programa QUANUM - Quality Management Audits in Nuclear Medicine Practices da Agência Internacional de Energia Atômica – AIEA. 

A Medicina Nuclear do InRad já havia passado por uma primeira avaliação de 05 a 09 de março de 2012, quando projeto ainda chamava-se “Strengthining Quality Assurance in Nuclear Medicine” (Fortalecimento da Garantia da Qualidade em Medicina Nuclear). Nesta oportunidade os auditores deixaram um relatório com várias recomendações na área de procedimentos de diagnóstico, gestão da qualidade, proteção radiológica, mas as mais críticas estavam relacionadas às instalações físicas da radiofarmácia hospitalar. Para atender as recomendações foi necessária a aquisição de um fluxo laminar blindado e uma pequena adequação civil das instalações, o que representou um custo relativamente alto e o principal motivo por ter sido executado somente em 2018, quando o InRad conseguiu realizar este investimento. 

Assim, logo após esta adequação civil e compra do equipamento foi solicitada uma nova avaliação para AIEA, realizada de 12 a 16 agosto. De 2012 a 2019 o programa de avaliação mudou para QUANUM e evoluiu nas suas exigências, e esta auditoria foi baseada no “Quality Management Audits in Nuclear Medicine Practices” 2o edição 2015 e no “Checklist -  QUANUM 3.0”. São cerca de 270 itens que foram avaliados e a instituição conseguiu conformidade em 94% deles. As não-conformidades foram na área de proteção radiológica, radiofarmácia hospitalar, procedimento de diagnóstico e tecnologia da informação. 

Agência Internacional de Energia Atômica – AIEA 

A AIEA foi estabelecida como uma organização autônoma, pertencente as Nações Unidas em 29 de julho de 195, foi criada uma organização internacional "devotada exclusivamente aos usos pacíficos da energia atômica", e que foi aprovada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 1954. Em 1957, foi completado o seu estatuto. O seu objetivo é a promoção do uso pacífico da energia nuclear e o desencorajamento dos usos para fins militares de armas nucleares. 

Na medicina, seu objetivo, é ajudar e apoiar os Estado Membros a estabelecer os cuidados da saúde com alta qualidade em todo o mundo. Através da coordenação de projetos de pesquisa, orientação especializada, equipamentos, desenvolvimento de diretrizes harmonizadas internacionalmente, treinamento e intercâmbio de conhecimento. Com este apoio o uso de técnicas nucleares em medicina tornou-se uma das aplicações mais pacíficas da energia atômica, principalmente no diagnóstico e tratamento do câncer, garantindo a qualidade do uso de radiação de forma segura e precisa. 

QUANUM – Quality Management Audits in Nuclear Medicine Practices

O QUANUM são auditorias de qualidade que revisa de forma abrangente as práticas de medicina nuclear, com o objetivo de melhorar a qualidade das práticas e  de gestão. O programa de auditoria envolve: revisão das políticas, dos procedimentos e os indicadores dos seguintes processos:  gestão superior, recursos humanos, gestão da qualidade, proteção radiológica, proteção radiológica dos pacientes e dos funcionários, procedimentos clínicos de terapêuticos, radiofarmácia hospitalar e a produção de radiofármacos. A auditoria é realizada por uma equipe multiprofissional, aqui especificamente foram dois médicos nucleares, dois físicos médicos e um radiofarmacêutico. 

Após a auditoria há a emissão de relatório que avalia a qualidade atual e faz sugestões para melhorias. Importante frisar a auditoria não emite um certificado, mas avalia e faz recomendações, e podem contribuir globalmente para melhoria continua de todo o processo. 

Fonte: InRad HCFMUSP

Compartilhe


NOTÍCIAS RELACIONADAS