Principais lições da educação virtual da era da pandemia para estudantes de medicina

As plataformas virtuais de aprendizado permitiram que os principais especialistas médicos falassem com um grande número de alunos, sem restrições relacionadas a custo e localização.

02 Mai, 2022

Quando se trata de educação de estudantes de medicina, o COVID levou a uma interrupção sem precedentes – mas também levou a uma inovação sem precedentes. A pandemia quebrou todos os paradigmas e preconceitos existentes sobre o que era possível, forçando os educadores a reimaginar a experiência de aprendizado tradicional da faculdade de medicina e adotar ferramentas digitais de aprendizado. Algumas dessas adaptações e ajustes feitos nos últimos dois anos podem valer a pena manter, concluem Ashley Park, MS, e Omar A. Awan, MD, ambos da University of Maryland School of Medicine , em um artigo publicado na  Academic Radiology . “ Estudos mostram que o ensino virtual tem vantagens, como acessibilidade de recursos e flexibilidade. A disponibilização de materiais físicos de estudo on-line permitiu que os alunos os acessassem no horário e local de sua preferência, o que encorajou um aprendizado assíncrono mais automotivado”, escrevem os autores.

Além disso, observa o artigo, as plataformas virtuais de aprendizado permitiram que os principais especialistas médicos falassem com um grande número de alunos, sem restrições relacionadas a custo e localização. Claro, nem tudo sobre o aprendizado virtual é ideal. Especificamente, os autores destacam as dificuldades técnicas e a perda da interação face a face como principais desvantagens que impedem os alunos de alcançar as competências-chave antes de ingressar na residência. “ A transição dos anos pré-clínicos para os anos clínicos foi impactada negativamente devido ao ensino interrompido de anatomia e habilidades básicas de entrevista e exame físico do paciente.”

Para alguns alunos, o aprendizado virtual também resultou em dificuldade para manter o foco, comunicação reduzida e sentimentos de isolamento, ansiedade ou estresse . Para aproveitar os aspectos da aprendizagem virtual que funcionam bem ao mesmo tempo em que atenuam possíveis impactos negativos, os autores sugerem uma série de estratégias para uma aprendizagem virtual mais eficaz no futuro.  

Essas estratégias incluem:

  • Preparação avançada para palestras: Apresentadores e participantes devem fazer login na plataforma de reunião virtual com antecedência e verificar suas configurações de áudio para evitar atrasos e dificuldades técnicas. Os apresentadores devem oferecer um esboço claro da apresentação, incluindo uma agenda ou objetivos de aprendizado, e devem incluir recursos visuais de apoio, sugeriram os autores.
  • Um “modelo de sala de aula invertida”: fazer com que os alunos concluam uma tarefa antes de uma sessão de aula virtual pode aumentar o envolvimento dos alunos e permitir que os professores usem o tempo da sala de aula para apresentar conhecimentos de ordem superior e responder a perguntas.
  • Incorporação de software: Certas ferramentas de software, como aquelas que permitem que o público responda a perguntas de múltipla escolha ou abertas, podem ajudar a aumentar o envolvimento e confirmar que os alunos têm uma compreensão precisa do material apresentado. Outros usos potenciais de software na sala de aula virtual incluem software que simula um Picture Archiving and Communications System (PACS), ou aplicativos móveis que questionam os alunos sobre tópicos como estruturas anatômicas ou patologias comuns. 
  • Maior aprendizado de simulação: simulações clínicas virtuais usando atores ao vivo oferecem oportunidades para avaliação em tempo real usando casos realistas. Os alunos também acharam atividades como rondas virtuais nas enfermarias e relatórios matinais virtuais altamente relevantes. 

Uma consciência do que funcionou durante a pandemia, o que não funcionou e estratégias úteis para o futuro oferecem uma oportunidade e uma responsabilidade, observaram os autores. “Pensar fora da caixa para maximizar a motivação do aluno para aprender por meio de várias modalidades de ensino e envolvimento com pacientes, reais ou virtuais, para simular estágios presenciais é uma responsabilidade importante dos diretores de curso.”

Fonte: https://www.healthimaging.com/topics/covid-19/key-lessons-pandemic-era-virtual-education-med-students

 

Compartilhe


NOTÍCIAS RELACIONADAS